Diariamente recebemos diversas dúvidas sobre Iniciação Científica (IC): como fazer para começar?

A resposta para essa pergunta depende muito da dinâmica das coisas na sua instituição - cada faculdade tem as suas próprias regras. A USP, por exemplo, divulgou um infográfico simplificando a vida dos estudantes.

O que é: Programa voltado para projetos de pesquisa em todas as áreas do conhecimento

O Programa de Iniciação Científica via de regra é dividido em PIBIC (com bolsa) e PIVIC (voluntário), seguindo o edital da sua universidade. É possível haver oportunidades de pesquisa independentes - sem vínculo com o edital de PIBIC/PIVIC ou “mão de obra” extra que um professor precise para uma determinada atividade acadêmica.

Vale ressaltar que cada área tem as suas particularidades; por exemplo, se você é das Ciências Exatas ou da Saúde, muitas das pesquisas devem estar sendo desenvolvidas dentro de laboratórios e podem estar inseridas em outros quadros de fomento (ou seja, não seguem as regras do edital padrão PIBIC/PIVIC).

Dessa maneira, a forma que um aluno de Direito e um aluno de Engenharia podem chegar a se envolver com pesquisa provavelmente serão completamente distintas. O procedimento do edital PIBIC/PIVIC é padrão, mas são muitos os caminhos para chegar lá. Veja um passo a passo sobre esse processo de engajamento com a vida acadêmica. Conseguir uma oportunidade depende de uma série de fatores, mas principalmente da sua proatividade e comprometimento!

Objetivo: Despertar e incentivar o interesse dos alunos de cursos de graduação em técnicas e métodos científicos

É importante pontuar aqui que o público alvo de uma Iniciação Científica são os graduandos - se você já se formou, essa oportunidade não se encaixa mais para você. Hoje em dia também existem possibilidades de realizar uma IC no ensino médio, em especial nos Institutos Federais (Programa de Pré-Iniciação Científica).

Retomando a distinção entre grandes áreas, aqui é importante observar que os métodos e técnicas de uma pesquisa jurídica são distintos de uma pesquisa das exatas, por exemplo. Mesmo dentro de uma mesma área podemos encontrar uma grande variedade de procedimentos científicos - e aí que está a riqueza de se conhecer a vida acadêmica e o universo da pesquisa.

O que fazer

  1. Procure diretamente quem desenvolve pesquisa / possui projetos de Iniciação Científica na sua instituição. Alguns professores realizam processos seletivos para escolher os estudantes

  2. Se você não conhece ninguém, converse com o coordenador do seu curso e veja as opções de desenvolver uma pesquisa. Se você já estiver no fim do curso, ainda há chances: sua IC pode se tranformar no seu TCC! E se você está no início do curso, ótimo! Tem muito a desenvolver. Em algumas instituições, uma pesquisa bem feita ou os frutos de uma IC (artigos publicados em periódicos QUALIS) podem vir a substituir um TCC ou monografia.

  3. Concentre-se em um eixo que de fato você tenha interesse em desenvolver pesquisa (se você já tem uma inspiração, agora tem de ver se isso bate com as linhas desenvolvidas na sua instituição). Tenha um conhecimento prévio no assunto e apresente um bom desempenho acadêmico geral!

  4. Verifique se há laboratórios/projetos de extensão/grupos de estudos que possam te interessar. Esse é um dos primeiros pontos de contato que você pode ter com um supervisor/coordenador, aquele pode vir a se tornar o seu professor orientador de IC.

  5. Pergunte a quem já fez Iniciação Científica e escute a opinião deles. Procure registros ou publicações dos relatórios finais de IC na sua instituição.

  6. Participe de eventos acadêmicos na sua instituição e na sua área em geral. Veja se há Anais das Jornadas de IC disponíveis!

Sobrou alguma dúvida? Comente abaixo. Agora só basta você correr atrás!

Se a sua dificuldade é em escolher um tema, nossa série sobre Iniciação Científica continua em Como escolher um tema de Iniciação Científica.