Após a minha feliz experiência no UFRGSMUN 2010, botei na cabeça que participaria do AMUN 2011, acompanhado desta vez do meu amigo Alexander Pibernat, amigo de longa data e companheiro de simulações e de Jessups.

Analisando os comitês do evento, decidimos participar da Corte Europeia de Direitos Humanos, em que se debateria o Caso Ms Vo x França, já que fazia pouco tempo que tínhamos participado do Jessup e estávamos com aquela ânsia de pesquisar direito internacional novamente. Organizamo-nos, economizamos dinheiro dos nossos estágios e fomos a Brasília, em julho de 2011, para o AMUN. Durante o evento, notamos diferenças entre a capital federal e a nossa querida Porto Alegre de modo que destacarei algumas delas. Em primeiro lugar, as condições climáticas, pois, durante o dia, Brasília era quente e seca (nos meus primeiros dias lá, meu nariz sangrava do nada) e, à noite, às vezes, esfriava o tempo.

Em segundo lugar, as distâncias: em alguns momentos, tu podias enxergar o lugar, porém, se quisesses caminhar até lá, poderias levar muito tempo caminhando, mais que o esperado para alguém de Porto Alegre. Lembro que, quando vi a localização do hotel em que ficaríamos hospedados, pensei que, em menos de 10 minutos, poderíamos ir caminhando até a Praça dos Três Poderes. Que nada, que baita engano! Era mais longe do que eu imaginava de maneira que fui obrigado a pegar um táxi até a Praça dos Três Poderes. E uma terceira diferença que notamos foi o custo de vida ser mais caro em Brasília do que na capital gaúcha.

Tendo em vista que Brasília é a capital do Brasil, é possível que alguns eventos da simulação aconteçam em lugares de destaque no país, dependendo da disponibilidade desses espaços. Apenas para exemplificar, utilizando o AMUN 2011 como parâmetro: 1) a abertura foi no Palácio Itamaraty; 2) uma das festas ocorreu na Embaixada do Egito; 3) e, por fim, a cerimônia de encerramento do AMUN aconteceu no Tribunal de Contas da União.

O comitê da Corte Europeia de Direitos Humanos foi de um nível altíssimo de discussão e de parceria entre os colegas. Pessoas de diferentes lugares do Brasil numa sala discutindo temas de direito internacional dos direitos humanos. Sem contar o pessoal do Staff, que era muito atencioso e muito competente. Essa experiência guardo até hoje com boas lembranças.

Fiz muitas amizades na simulação AMUN 2011, sendo que mantenho algumas até hoje. Quero destacar neste texto uma, em especial. No mesmo comitê em que eu e meu amigo Alexander estávamos, conhecemos uma menina de Vitória (confesso que era a primeira pessoa na minha vida que eu conhecia do Espirito Santo), extremamente inteligente, simpática e querida com todos os colegas nas sessões. Essa moça era a minha grande amiga Agatha Brandão de Oliveira, idealizadora do Formação Global.

Do AMUN 2011, nasceu uma grande amizade com Agatha que mantenho até hoje, com muita felicidade. E cá estou escrevendo este texto. Se não tivesse comparecido ao AMUN 2011, talvez não estivesse no Formação Global. Como MUN é o tipo de evento ideal para fazer novas amizades que podem gerar futuros projetos de excelência, recomendo que participem do AMUN, pois lá tem gente do Brasil inteiro, às vezes, até de outros países.