A primeira experiência em Model United Nations para quem é do Direito

A expressão MUN, para quem não sabe, significa Model United Nations, espécie de evento acadêmico que simula comitês de organizações internacionais. No primeiro ano de faculdade, eu não tinha a menor ideia do que essa sigla era e, muito menos, o quanto significativo é esse tipo de evento para acadêmicos do mundo inteiro.

Em março de 2010, recordo-me que descobri um evento chamado “Curso Preparatório para o UFRGSMUN”, que seria ministrado na Faculdade de Direito da UFRGS a pessoas interessadas em temas de direito internacional público e de relações internacionais. Apesar de não saber o que era o UFRGSMUN, decidi fazer o curso com base na descrição do público-alvo e na ótima programação. Fiz e adorei o curso, vi palestras excelentes de ex-modeleiros e participei de pequenas simulações que foram realizadas nesse evento. Fiquei entusiasmado de participar de um MUN e decidi participar do UFRGSMUN 2010.

Muitas pessoas participam de seu primeiro MUN, normalmente, fazendo parte de uma delegação. Curiosamente, não foi o meu caso. Eu tentei montar uma delegação em 2010, porém não deu certo. Todas as pessoas que eu convidei naquele ano me disseram que não poderiam participar por várias desculpas (estágio, não falava inglês fluentemente, não tinha tanto interesse em Direito Internacional e em Relações Internacionais, tinha medo de falar inglês em público e etc). Qual foi a solução? Fiz a inscrição individual para participar de um comitê no UFRGSMUN que simularia a Corte Internacional de Justiça. Para ingressar neste comitê, a inscrição só poderia ser individual, então foi perfeito para a minha situação.

Fui sozinho ao UFRGSMUN 2010 – o meu primeiro MUN – sem conhecer ninguém, mas com muita curiosidade. Estava tão nervoso no primeiro dia do evento que acabei errando o caminho para chegar ao Hotel Plaza San Rafael, entrei contramão com o meu Celta branco numa rua no centro de Porto Alegre e parei o trânsito do centro por uns 5 minutos (imagine a cena, caro leitor!). Após me situar, encontrei o caminho e cheguei ao Hotel Plaza San Rafael para o UFRGSMUN. No Plaza, conversei com uns participantes muito bacanas que já tinham estado em outros modelos e me contaram suas experiências. Por ter tido aquelas conversas antes, fiquei tranquilo e me direcionei para a primeira sessão do comitê da Corte Internacional de Justiça.

Da primeira até a última sessão, aprendi muito, gostei muito da experiência e das pessoas que lá estavam. A partir dessa experiência, fiquei fã de comitês jurídicos, porque neles a discussão é muito técnica, com muita troca de informações e de ideias, sem contar que todos se ajudam na hora de redigir a sentença. Resumo da ópera: todos aprendem. Quem não é do Direito não ficará “boiando” em comitês jurídicos, pois os presentes dialogam bastante e uns ensinam os outros. Experiência muito bacana, recomendo até para quem não é do Direito.

O UFRGSMUN 2010 foi minha porta de entrada para a “modelândia”. Pretendo escrever aqui no Formação Global outros textos sobre esse universo dos MUNs. Aguardem!