Lições do teatro para a vida acadêmica

“Eu sou muito tímido, não consigo falar em público”. “Só de pensar em apresentar um trabalho para turma me dá arrepios”. “Nem quero pensar na minha apresentação de TCC”. Frases como essas são ouvidas com frequência no meio acadêmico, por vários estudantes que possuem dificuldades para apresentar oralmente trabalhos. Esses pensamentos faziam parte da minha cabeça, aos 17 anos de idade, quando eu ingressei na Faculdade de Direito da PUCRS.

Eu sabia que precisava de ajuda para resolver o problema de não conseguir falar em público. Lembro-me bem que na minha primeira apresentação oral de trabalho acadêmico eu tive sérias dificuldades. Transpirei muito, fiquei nervoso, me perdi na apresentação, respiração ficou ofegante. Um horror, um horror. O desespero que me passou no momento não desejo a ninguém.

Eis que um dia eu estava indo em direção ao restaurante universitário e vi um cartaz no prédio 5 da PUCRS exibindo a propaganda de um grupo teatral chamado Neelic, com unidade na Usina do Gasômetro, que oferecia aulas de teatro. Pensei com os meus botões: “por que não fazer teatro e mudar de vida?”.

Telefonei no mesmo dia para o número que estava no cartaz. A moça que me atendeu falou que a primeira aula seria experimental e que não teria custo. Fiquei interessado e fui à aula experimental.

Naquela aula experimental fiz muitos exercícios vocais e de palco. Achei um pouco estranho vários deles, mas fiquei tão curioso e ávido para aprender mais que decidi continuar no curso. Acabei fazendo 1 ano de teatro, apresentei uma mostra de cenas e, atualmente, sou um grande apaixonado pelas artes cênicas. Sempre quando posso vou a peças teatrais em Porto Alegre.  Confesso que antes dessa experiência eu não era fã de teatro e nem fazia questão de assistir a uma peça. Alguns ex-colegas meus de curso hoje são grandes atores e atrizes em Porto Alegre. Não continuei no curso por falta de tempo mesmo.

Nas aulas de teatro, fiz vários exercícios vocais, de cena e até de equilíbrio emocional. Pude me conhecer melhor, ficar mais desinibido para apresentações ao público e ser mais observador do ser humano. A fala, o gesto, o andar e o olhar do ator significam muito para uma cena ser boa ou não, e, na vida real, esses detalhes fazem a diferença na hora de transmitir uma ideia ou um sentimento a alguém.

Conseguir transmitir uma ideia ou um sentimento a alguém de maneira que prenda a atenção do ouvinte é algo mágico que faz a diferença de qualquer profissional e de qualquer estudante numa apresentação de trabalho acadêmico. E esta “mágica” aprende-se muito bem no teatro.

Seja mágico na transmissão da palavra, faça teatro! Em linguagem teatral, há uma frase que é dita entre os atores teatrais anglófonos antes de um espetáculo começar para desejar sorte no palco: and break a leg my friend!

Break a leg nas apresentações acadêmicas!