O escritor Guimarães Rosa mencionou uma vez numa entrevista que falava e escrevia em vários idiomas. O autor do livro “Grande Sertão: Veredas” aprendeu sozinho grande parte das línguas que sabia numa época em que não havia Internet bem como a tecnologia não se compara ao que é atualmente. Também há outras histórias de poliglotas que aprenderam línguas estrangeiras, na época de Guimarães Rosa ou até antes. Será que é possível mesmo aprender idiomas sozinho?

Conto um pouco da minha experiência com o aprendizado autodidata de línguas estrangeiras. Digo, de antemão, que não me considero fluente em nenhuma delas, mas ressalto que esse conhecimento me ajudou em muitos momentos. Quando eu tinha 15 anos de idade, em época de férias de verão, descobri um site chamado Francoclic, que oferecia curso de francês gratuitamente na seção Réflets, com quase 30 módulos de aulas em vídeo e em exercícios. Esse site nasceu de uma parceria entre os governos do Brasil e da França e não está mais no ar, infelizmente.

Sem nada para fazer no calor de janeiro típico do Rio Grande do Sul, decidi fazer o curso para ver como era. Gostei muito das aulas e dos vídeos que eram produzidos no Brasil e na França de modo que me empolguei, segui com os estudos por conta própria e acabei comprando livros em francês, dicionário e gramática em língua francesa. Também comecei a escutar audiobooks e músicas em francês para treinar o ouvido. Em poucos meses, comecei a notar alguns avanços ao passar entender notícias e algumas músicas francesas.

Pouco tempo após conhecer o Francoclic, descobri o site da Deutsche Welle em que continha, na época, dois cursos de alemão gratuitos: Deutsch Warum Nicht e Deutsch Wieso Nicht. De 2007 a 2009, com grandes pausas em decorrência da rotina do colégio e da preparação para o vestibular em 2008, fiz estes cursos e gostei muito. Em cada lição, era possível aprender vocabulário e gramática, através das histórias contadas nos áudios. Alemão é uma língua bem difícil e, mesmo tendo estudado sozinho por dois anos, ainda considero meu conhecimento básico. Complementei meus estudos de língua alemã escutando audiobooks e músicas e com leitura de jornais germânicos, quando possível. Esse aprendizado foi fundamental, sendo útil em certas situações como em viagens e na área acadêmica em alguns momentos.

Com disciplina e estudando sempre, é possível aprender uma língua estrangeira, nem que seja apenas algumas palavras ou poucas estruturas gramaticais. Você pode não ficar fluente e até não saber falar muito num determinado idioma, mas aquele conhecimento adquirido pode fazer a diferença em algumas situações. A Internet, atualmente, é uma grande aliada para o aprendizado de línguas estrangeiras, então aproveite esta ferramenta!

PS: Links de alguns sites com cursos de idiomas gratuitos: